Como surgiu a ideia da Construtores de Memórias

Por Marcone Tavella

Nas primeiras conversas com sobre a criação de uma editora especializada em biografias sob encomenda com minha companheira de vida Aline Torres não havia um nome para o negócio, os tipos de serviços que poderíamos disponibilizar e nem tínhamos noção de como faríamos para imprimir os livros. Mas existia a ideia, que era por si só estimulante.

Imaginar os sentimentos e significados envolvidos no livro pronto e distribuído entre amigos e familiares era um indicativo de que valeria a pena investir neste projeto.

Uma cena marcante foi quando entregamos em dezembro de 2015 o livro do empresário Edson Zanin Telles, conhecido por Galego nas mais prestigiadas rodas de dominó de Florianópolis. A foto que fechava o penúltimo capítulo era de um dos sobrinhos que trabalha com ele abraçado com o Gustavo Kuerten, o Guga.

O tal sobrinho, com cerca de 25 anos, recebeu orgulhoso o livro das mãos de Galego e se pôs a folhear as páginas despretensiosamente até se deparar com a imagem dele ao lado do tenista. Imediatamente, ele desabou no chão, de joelhos, chorando descontroladamente. Sem qualquer palavra dita, comovido ele expressava toda gratidão por ter sido lembrado pelo tio para ser eternizado nas páginas de suas memórias.

O livro do Edson, um trabalho indicado pelo amigo Bruno Volpato, foi o gatilho para a ideia que daria origem à Construtores de Memórias.

Laís Paludo, outra amiga importante no processo de concepção do negócio, fez um dia duas perguntas relacionadas ao meu avô João (falecido em 2015) e que dá razão a tudo que envolve este propósito. A primeira questão me provocava a dizer cinco exemplos que ele me deixara. Respondi de pronto: resiliência, fé, trabalho, honestidade e simplicidade. Em seguida ela perguntou qual era a cor favorita dele? Bom, eu não sabia dizer. Pensei um instante até desistir de chutar qualquer coisa.

“Você se lembra do que importa. O que fica são sempre os valores. Esta é a matéria-prima de vocês”, ela concluiu, sabiamente.

Hoje a ideia tem cara, nome, serviços para atender diferentes necessidades, parceria para impressão dos livros e três obras publicadas. Mas se fosse resumir o que a Construtores de Memórias oferece, eu diria que perpetuamos valores, acreditando que todas histórias merecem ser contadas.

Um comentário em “Como surgiu a ideia da Construtores de Memórias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *