Leia Mais e Melhor com Esse Guia Sobre Os 18 Livros Vencedores do Prêmio Jabuti 2019

Escritora Conceição Evaristo (foto: Ana Branco/O Globo) foi eleita personalidade literária de 2019

Amante das boas narrativas, esse é sem dúvida O Mais Completo Guia Sobre Os 18 Livros Vencedores do Prêmio Jabuti 2019, revelados no final de novembro. A 61ª edição de entrega das cobiçadas estatuetas reservou homenagens à escritora Conceição Evaristo (leia mais sobre no último tópico do texto). O local da cerimônia foi o Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer, em São Paulo e a transmissão do evento, disponível via canal no Youtube da Câmara Brasileira do Livro (CBL) (instituição realizadora), pode ser assistida a seguir:

Para quem teve o nome anunciado pelo ator Lázaro Ramos, mestre cerimônia da noite, foi a coroação para recompensar a maratona de meses na produção de um livro, além da concorrência do próprio Prêmio Jabuti. Até ganhar o direito de imprimir o selo de campeão na capa (ou de finalista), cada trabalho passa por uma triagem que dura em torno de cinco meses, enfrentando dezenas de trabalhos por categorias. Portanto, subir ao palco como a primeira escolha dos jurados pode mudar a carreira de um escritor e agregar credibilidade às editoras.

Nesse guia, a Construtores de Memórias volta-se para a terceira parte dessa tríade: o leitor. Apresentamos as etapas, conceitos, categorias e premiações do concurso. Selecionamos também alguns links interessantes para quem deseja conhecer mais sobre o autor ou quer adquirir os títulos diretamente das respectivas editoras que produziram as obras. Com isso, queremos fortalecer e compartilhar nossa crença de que a leitura se tornará um hábito comum quando a população tiver mais acesso às lógicas do mercado editorial, entender os processos envolvidos na produção de um livro e reconhecer quem são os principais nomes nacionais da atualidade.

Para facilitar a consulta e padronizar a navegação, os 18 livros vencedores, além do projeto social que levou na categoria de Fomento à Leitura, estão listados abaixo com o mesmo formato, segundo o esquema a seguir:

 

Sobre o prêmio

O Prêmio Jabuti é o mais prestigiado concurso de literatura brasileira e foi lançado em 1958 pela Câmara Brasileira do Livro. Em seis décadas, foram diversas adequações, levando em conta as transformações do mercado editorial e a composição de sua curadoria. Ou seja, nem sempre as categorias foram as mesmas e um gênero de narrativa se enquadrou em disputas distintas de um ano para o outro.

>>> Em seu discurso na cerimônia, Pedro Almeida falou sobre a importância do Prêmio apontar para o novo

Para concorrer, basta cumprir as etapas de inscrição e torcer que seu título esteja dentro dos critérios e gosto dos jurados. Apesar de serem divulgadas listas de pré-selecionados e finalistas previamente, como um chamariz ao evento, o vencedor já está definido antes e é determinado pela soma das notas dadas pelos jurados na avaliação. Porém, o nome só é revelado na cerimônia e o 1º lugar de cada categoria leva o estimado Troféu Jabuti, entregue ao autor e à editora. Além disso, o escritor recebe um prêmio no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

O maior prêmio da noite é o Livro do Ano, que dá ao vencedor R$ 100.000,00 (cem mil reais). Em 2019, o escolhido foi o doutor em sociologia Pedro H. G. Ferreira de Souza, pelo trabalho Uma história da desigualdade: a concentração de renda entre os ricos no Brasil 1926-2013, editado pela Hucitec Editora Ltda. A obra amplia o contexto na análise sobre a desigualdade social e analisa as relações de poder e as condições que definiram ao longo dos anos o retrato social de hoje. Além do Jabuti, Pedro já havia levado o Prêmio Capes de Sociologia.

O trabalho que venceu o Livro do Ano foi o 1º lugar da categoria Humanidades, que compõe o eixo Ensaios. Além deste, as demais disputas são classificadas entre Literatura, Livro e Inovação. Veja o esquema:

 

O guia sobre os vencedores do 61º Prêmio Jabuti de Literatura
Literatura

Conto
1º Lugar – Título: Um beijo por mês | Autor(a): Vilma Arêas | Editora(s): Luna Parque 

Descrição: “De modo ágil, os textos de Vilma Arêas trabalham a violência social dos dias de hoje misturada à memória política dos anos de chumbo no Brasil, ao mesmo tempo em que são atravessados por uma inquietude que perturba as formas de descrever, lembrar e narrar.”

Crônica
1º Lugar – Título: Pós-F: para além do masculino e do feminino (póstumo)| Autor(a): Fernanda Young | Editora(s): LeYa

Descrição: “Em sua primeira obra de não ficção, Fernanda Young se insere no acalorado debate sobre o que significa ser homem e ser mulher hoje. Em textos autobiográficos, ela se revela como uma das tantas personagens femininas às quais deu voz, sempre independentes e a quem a inadequação é um sentimento intrínseco. E esse constante deslocamento faz com que Fernanda Young seja capaz de observar o feminino e o masculino em todas as suas potencialidades. É daí que surge o Pós-F., pós-feminismo e pós-Fernanda, um relato sincero sobre uma existência livre de estigmas calcada na sobrevivência definitiva do amor, no respeito inquestionável ao outro e na sustentação do próprio desejo.”

Histórias em Quadrinhos
1º Lugar – Título: Graphic MSP – Jeremias: Pele | Autor(a): Rafael Calça, Jefferson Costa | Editora(s): Mauricio de Sousa, Panini Comics

Descrição: “Numa reinterpretação ousada, porém necessária, como enaltece Mauricio de Sousa, em seu prefácio, o roteirista Rafael Calça e o desenhista Jefferson Costa dão vida a uma história forte, dura, emocionante, na qual Jeremias lidará pela primeira vez com o preconceito por causa da cor da sua pele. A história é recheada de dor, superação, aprendizado e preparação para a vida.”

Infantil
1º Lugar – Título: A Avó Amarela | Autor(a): Júlia Medeiros, Elisa Carareto | Editora(s): Ôzé Editora

Descrição: “Este livro não é sobre a Avó Azul (embora ela também dormisse sem boca). Ele também não é sobre a sua avó (porque eu nem sei qual é a cor dela). Ele é sobre a minha Avó Amarela (de quem, às vezes, fico roxa de saudade).”

Juvenil
1º Lugar – Título: Histórias guardadas pelo rio | Autor(a): Lucia Hiratsuka | Editora(s): Edições SM 

Descrição: “Por mais que tente, Pedro não consegue pescar histórias no rio. E essa é uma prática comum em sua cidade: dos pescadores que as pescam e as negociam, aos moradores de variadas idades que as recolhem das águas e depois as trocam, as presenteiam, as colecionam, bordam- nas linha por linha… Inconformado com o fato de não conseguir pescá-las, o jovem empreenderá uma busca sobre o segredo dessa arte de pesca, cuja resposta está guardada nas águas do rio.”

Poesia
1º Lugar – Título: Nuvens (póstumo)| Autor(a): Hilda Machado | Editora(s): Editora 34

Descrição: “Quantos poetas passam pela vida sem jamais publicar um livro? Quantos poemas escritos nunca chegam aos leitores?
Hilda Machado, pesquisadora e cineasta nascida no Rio de Janeiro em 1951 e falecida em 2007, foi professora na Universidade Federal Fluminense, com passagens por universidades estrangeiras, e diretora premiada em festivais de cinema nacionais. Em vida, Hilda Machado publicou apenas dois poemas. Deixou, porém, além de manuscritos esparsos, este Nuvens, que ela mesma organizou e chegou a registrar na Biblioteca Nacional, claro sinal de que considerava publicá-lo um dia.”

Romance
1º Lugar – Título: O pai da menina morta | Autor(a): Tiago Ferro | Editora(s): Todavia

Descrição: “Fragmentário, composto por seções que formam uma espécie de estrutura caleidoscópica do luto, “O pai da menina morta” é uma ficção sobre os reflexos da morte de uma menina de 8 anos na vida do pai. Gestado a partir de uma tragédia experimentada pelo autor em 2016, o livro não se restringe ao inventário doloroso dessa perda indizível, mas amplia o campo da escrita do luto a partir do manejo consciente e irônico de temas como autoimagem, sexualidade, humor, confissão, memória e fabulação. A morte da menina, aqui, é como a refundação do mundo para o protagonista. A partir do enterro ele sempre será visto como “o pai da menina morta”.”

 

Ensaios

Artes
1º Lugar – Título: Arte popular brasileira: olhares contemporâneos | Autor(a): Germana Monte-Mór, Vilma Eid | Editora(s): Editora WMF Martins Fontes, Instituto do Imaginário do Povo Brasileiro

Descrição: “Este livro nasceu com o objetivo de ampliar a pontual bibliografia sobre a arte popular brasileira. Ao apresentar a arte produzida por artistas autodidatas através do olhar contemporâneo de alguns dos mais respeitados críticos de arte e artistas brasileiros, esperamos dar mais um passo na direção de enriquecer o debate sobre essa vertente tão importante da nossa arte.”

Biografia, Documentário e Reportagem
1º Lugar – Título: Jorge Amado: uma biografia | Autor(a): Joselia Aguiar | Editora(s): Todavia

Descrição: “Com acesso exclusivo a documentos de família e cartas de parentes, amigos e outros escritores, além de exaustivas entrevistas e pesquisas no Brasil, na Europa e nos Estados Unidos, o livro retraça a história de um dos mais populares escritores do século XX. Um homem que, saído da Bahia, tornou-se cidadão do mundo, amigo de personalidades como Sartre e Saramago, traduzido para dezenas de idiomas. Autor de clássicos brasileiros como Capitães da areia, Jubiabá e Gabriela, Cravo e Canela com livros que se tornaram sucesso do cinema e da TV,  Jorge Amado tem aqui sua vida – de homem, celebridade – recontada com elegância, precisão e fluência quase romanesca.”

Ciências
1º Lugar – Título: A caminho de Marte: a incrível jornada de um cientista brasileiro até a NASA | Autor(a): Ivair Gontijo | Editora(s): Editora Sextante

Descrição: “Neste livro, o físico brasileiro Ivair Gontijo, responsável pela construção do coração do radar usado na descida triunfal do Curiosity no planeta vermelho, faz um relato fascinante dos bastidores do projeto de desenvolvimento, lançamento e operação do mais complexo veículo robótico já enviado para outro mundo. Nascido às margens do Rio São Francisco, em Minas Gerais, Ivair intercala histórias da sua jornada pessoal, do interior do Brasil até a NASA, com um panorama das grandes viagens espaciais feitas até hoje. Com uma linguagem clara e acessível, A caminho de Marte reúne as descobertas científicas mais recentes sobre nosso vizinho, aborda a busca por evidências de vida no planeta vermelho e também trata dos desafios futuros na exploração do espaço. Além de despertar a paixão pela ciência, este livro busca inspirar todos aqueles que sonham alçar grandes voos na carreira e na vida.”

Economia Criativa
1º Lugar – Título: 101 dias com ações mais sustentáveis para mudar o mundo | Autor(a): Marcus Nakagawa | Editora(s): Editora Labrador

Descrição: “Como colocar a sustentabilidade no meu dia a dia? Quais ações posso colocar em prática para melhorar o mundo? Depois de anos ouvindo essas perguntas praticamente todos os dias, Marcus Nakagawa reuniu o conhecimento que acumulou ao longo de sua rica experiência na área da sustentabilidade e criou 101 ações palpáveis para mudar o mundo. As ações, baseadas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, englobam atividades que crianças, jovens e adultos podem implementar em sua rotina, inclusive em família! Com um pouco de interesse e dedicação, juntos, podemos fazer a diferença! E aí, preparados para começar?”

Humanidades
1º Lugar – Título: Uma história da desigualdade: a concentração de renda entre os ricos no Brasil 1926 – 2013 | Autor(a): Pedro H. G. Ferreira de Souza | Editora(s): Hucitec Editora Ltda

Descrição: “A história da desigualdade de Pedro Ferreira de Souza é uma história dos ricos. Faz sentido olhar para o topo: uma parte imensa da renda está lá. Por essa razão, toda flutuação na renda dos ricos tem um peso desproporcional na evolução da distribuição total. Quando a concentração é muito alta, os ricos conduzem a dança. Conduzem, mas não ditam como deve ser o baile. Este livro encaixa uma peça importante no quebra-cabeças da história econômica brasileira. Com ele, aprendemos sobre quem ganhou mais e quem ganhou menos em quase um século de desenvolvimento. Trata-se do resultado de um trabalho cauteloso, que envolveu uma coleta de dados atenta, selecionou as informações mais precisas e usou as melhores ferramentas, a fim de apresentar a série histórica mais longa e completa sobre a desigualdade no Brasil.”

 

Livro

Capa
1º Lugar – Título: Revela-te, Chico: uma fotobiografia | Capista: Augusto Lins Soares | Editora(s): Bem-Te-Vi Produções Literárias 

Descrição: “Um primoroso livro de imagens que ilustra e celebra Chico Buarque, ícone absoluto da cultura brasileira nos últimos 50 anos. Um álbum com cerca de 200 fotos mostra sua singular trajetória artística e pessoal, sua família, seus parceiros e intérpretes, sua escola de samba do coração e seu time de futebol, em ordem cronológica. A curadoria de Augusto Lins Soares, designer e jornalista, selecionou as imagens mais artísticas, icônicas e raras.”

Ilustração
1º Lugar – Título: Chão de peixes | Ilustrador(a): Lúcia Hiratsuka | Editora(s): Pequena Zahar

Descrição: “Inspirada nos haicais japoneses, Lúcia Hiratsuka pesca sons, imagens e sensações guardados bem lá no fundo da memória e, com a naturalidade e a delicadeza das pinceladas em tinta sumi, faz surgir a poesia que está na simplicidade do cotidiano. Entremeadas aos saltos do grilo no quintal, aos passos das formigas andando em fila, palavras sumiram, outras surgiram e se misturaram aos riscos e rabiscos do capim. Riscos que formam peixes, o chão que vira mar, lagartixa que vira lua, e até o tempo se torna outro…”

Impressão
1º Lugar – Título: Roberto Landell de Moura, o precursor do rádio | Responsável: Rodrigo Moura Visoni | Editora(s): Tamanduá

Descrição: Roberto Landell de Moura, o precursor do rádio: Na década de 1890, enquanto a recém proclamada República Brasileira investia na expansão de linhas telegráficas pelo interior do país, o padre sul-rio-grandense Roberto Landell de Moura (1861-1928) vislumbrou a possibilidade da telegrafia e da telefonia sem fios. Passando da teoria à prática, ele construiu, experimentou e patenteou uma série de aparelhos revolucionários, com os quais realizou feitos inéditos, que antecipavam o advento da radiocomunicação. O recorde mundial de transmissão radiofônica do século dezenove, 7.000 m, pertence a ele.”

Projeto Gráfico
1º Lugar – Título: Clarice | Responsável: Felipe Cavalcante | Editora(s): Global Editora

Descrição: “Clarice apresenta a visão de duas crianças que vivenciaram a ditadura militar. Como escreveu Volnei Canônica, nesse livro, “Roger Mello entrega, no olhar curioso da menina Clarice, os questionamentos de diferentes gerações sobre o exercício de poder do adulto, sobre os medos, as contradições, as fugas e a opressão. Quanto pesa um livro que afunda no lago com a sua história e a história de quem o leu? Quão perigoso é ter um lago de livros emergindo no pensamento?””

Tradução
1º Lugar – Título: Sobre isto | Tradutor(a): Leticia Mei | Editora(s): Editora 34

Descrição: “Um dos maiores nomes da poesia do século XX, conhecido como “Poeta da Revolução” por seu engajamento na construção da nova sociedade soviética, Vladímir Maiakóvski foi também um grande poeta lírico. Publicado em 1923, Sobre isto é fruto de sua relação amorosa com Lília Brik, interrompida em dezembro de 1922 por uma briga entre o casal. Primeira tradução integral da obra no Brasil, a presente edição bilíngue conta ainda com apresentação, notas e estudo crítico de Letícia Mei, além das fotomontagens originais de Aleksandr Ródtchenko e de uma seleção da correspondência entre Maiakóvski e Lília Brik no período.”

 

Inovação

Fomento à Leitura
1º Lugar – Título: Leia para uma Criança | Responsável: Dianne Cristine Rodrigues Melo | Editora(s): Itaú Social 

Descrição: “Distribuindo livros gratuitos e incentivando a leitura na primeira infância há anos no Brasil, o programa Leia para uma Criança, realizado pelo Itaú Unibanco e pelo Itaú Social, lançou sua campanha 2019 focando no potencial da leitura como agente transformador dos indivíduos, famílias e da sociedade.”

Livro Brasileiro Publicado no Exterior
1º Lugar – Título: A resistência | Autor(a): Julián Fuks | Editora(s): Companhia das Letras, Charco Press 

Descrição: “Meu irmão é adotado, mas não posso e não quero dizer que meu irmão é adotado”, anuncia, logo no início, o narrador deste romance. O leitor se descobre de partida imerso numa memória pessoal que se revela também social e política. Do drama de um país, a Argentina a partir do golpe de 1976, desenvolve-se a história de uma família, num retrato denso e emocionante.
Adotado por um casal de intelectuais que logo iriam buscar o exílio no Brasil, o menino cresce, ganha irmãos, e as relações familiares se tornam complexas. Cabe então ao irmão mais novo o exame desse passado e, mais importante, a reescritura do próprio enredo familiar. Um livro em que emoção e inteligência andam de mãos dadas, tocando o coração e a cabeça dos leitores.” (Vencedor do Prêmio Jabuti 2016)

 

O 61º prêmio jabuti em essência

Um dos momentos mais emocionantes da cerimônia do 61º Prêmio Jabuti foi protagonizado pelo mestre de cerimônia,  Lázaro Ramos, e a escritora Conceição Evaristo. Primeira negra da história homenageada como Personalidade Literária e vencedora do Prêmio Jabuti de 2015 (Contos e Crônicas), a mineira recebeu o reconhecimento da Câmara Brasileira do Livro (instante 2:21:25 do vídeo). A salva de palmas teve início com a elegante interpretação da cantora Fabiana Cozza, que cantou “Travessia“, de Milton Nascimento, uma das músicas preferidas da homenageada.

As palmas não pararam, porque Lázaro Ramos, como se espera de um príncipe brasileiro, quebrou o protocolo e, ao invés de chamar Conceição Evaristo ao palco, dirigiu-se até o assento da eleita para conduzi-la até o merecido troféu. 

“A sua existência dá sentido à minha, as suas palavras me completam, todos os encontros que eu tive com você, tudo aquilo que eu li seu, dão sentido à vida de várias pessoas. Muito obrigado, viu?”, disse, antes de beijar as mãos que escreveram Ponciá Vicêncio, Olhos Dágua, Becos da Memória, Insubmissas Lágrimas de Mulheres, Poemas da Recordação e Histórias de Leves Enganos e Parecenças.

Conceição Evaristo abriu seu discurso com um suspiro embargado, como se não tivesse ela palavras para agradecer. Honrosamente, citou cada um dos que deram oportunidade para que sua narrativa prosperasse. Pela ordem:

          1. Grupo KilombHoje
          2. Mazza
          3. Nandyala
          4. Malê
          5. Pallas
“Eu não ando sozinha e sozinha eu não estaria aqui”, pontuou, após agradecer leitores, parceiros e apoiadores. “Espero que o reconhecimento que me fez ser a primeira escritora negra homenageada pelo Prêmio Jabuti possa abrir caminho para a curiosidade geral, em descobrir outras escritoras negras que estão produzindo”.

Ao final, a escritora foi ovacionada de pé. O público ainda cantou “Parabéns pra você” por conta do aniversário da mineira, comemorado no dia 29 de novembro. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.